Compartilhe

Como fazer uma análise da concorrência nas Redes Sociais em 5 passos (acompanha planilha de seguimento!)

1. Identifique quem são os seus concorrentes

O primeiro passo na análise de seus concorrentes é saber quem são e onde estão. O primeiro passo é procurar no Google e nas Redes Sociais, encontre a sua concorrência e escolha pelo menos quatro competidores. Dessa forma, você já vai ter dados suficientes para começar o estudo.

Para que a análise da concorrência seja completa, preste atenção nos tipos de concorrentes:

  • Concorrência direta. Ache os seus concorrentes diretos, ou seja, os empreendimentos que fazem parte do mesmo mercado em que você se encontra e oferecem o mesmo produto ou serviço, por exemplo: Coca-Cola e Pepsi, Samsung e Apple.

analise da concorrência

  • Concorrência indireta. Por outro lado, encontre os seus concorrentes indiretos, ou seja, as empresas que fazem parte do seu setor e têm o mesmo público-alvo, mas que vendem um produto diferente -mesmo que atendam à mesma demanda, como no caso da Red Bull e da Starbucks. Ambas oferecem produtos diferentes, mas o público-alvo é o mesmo. Trata-se de uma porção de consumidores que pode optar entre uma bebida energética ou café –  pessoas que querem tomar algo que “agite”.

analise da concorrencia

2. Defina os dados da concorrência que você quer analisar

Depois de ter identificado os seus concorrentes, é necessário definir quais são os dados que você vai analisar.

Por exemplo, em quais redes sociais estão os seus concorrentes? Quantas publicações diárias e semanais fazem no Facebook, Twitter e em todos os canais de mídia social? Quantos seguidores têm? Que tipo de conteúdo publicam? Quantas interações são geradas com likes, shares e comentários? Eles respondem as mensagens do público?

Resumindo, tudo o que você acha que pode lhe ajudar a aprender mais sobre a sua concorrência e analisar seu comportamento de forma mais eficaz.

E se você não sabe por onde começar ou quais dados incorporar, além dos mencionados acima, não se preocupe, porque no passo 4 eu vou compartilhar um modelo para download para que você saiba quais os dados precisam ser seguidos.

analise da concorrencia

 

QUER RECEBER MAIS ARTIGOS DE NOSSO BLOG?
ASSINE NOSSA NEWS

3. Tenha as melhores ferramentas sempre à mão

Estamos na era da Internet, onde tudo é mais fácil do que nunca, por isso, se você não sabe como analisar a sua concorrência, não se preocupe: existem ferramentas especificamente criadas para ajudá-lo a fazer uma análise dos concorrentes da forma mais abrangente possível.

E, apesar de que encontrar estes dados é uma coisa que você pode fazer com facilidade – revisando os perfis rivais – aqui vão algumas ferramentas que podem ser bastante úteis:

  • Quicksprout. Permite comparar até quatro concorrentes ao mesmo tempo e mostra a quantidade de conteúdo compartilham em suas redes sociais.
  • Fanpage Karma. Controle a sua presença e da sua concorrência nas redes sociais. O plano gratuito dá a possibilidade de analisar os últimos 90 dias de todas as contas e permite comparar o desempenho, o crescimento, o conteúdomais usado, o número de fãs, as interações, a frequência de publicação e oengagment, dependendo do dia, da hora, e muito mais.
  • Audiense (antes SocialBro). Permite medir a sua marca e a concorrência no Twitter ao mesmo tempo. A ferramenta compara as suas ações com as dos seus concorrentes.
  • Twitter Counter. Com esta ferramenta é possível fazer uma comparação de seguidores e tweets no Twitter, embora a versão gratuita só permita  visualizar no máximo seis meses.
  • Like Alyzer. Essa é genial. Faz uma análise completa de fan pages do Facebook se você informar só a URL: Analisa desde informações mais básicas até o rendimento das publicações.
  • Quintly. É semelhante à  Fan Page Karma e permite monitorar as redes sociais (como Facebook, por um período de teste gratuito). Fornece informações sobre os KPIs, o comportamento dos fãs, usuários mais ativos, tempo de resposta e interações com os usuários e localização, entre outros.

4. Recolha dados e analise as informações

Chegou a hora da verdade: o momento de fazer a análise da concorrência, identificar qual é a sua vantagem competitiva (e, portanto, trabalhar para promovê-la) e ver quais são as  informações úteis que você pode extrair dos seus concorrentes para melhorar o desempenho da sua estratégia nas redes sociais.

Para poder analisar tudo isso, é fundamental que você monte um documentou ou planilha onde vai anotar os dados de forma clara e agrupável. É importante fazer esse seguimento e dedicar o tempo necessário à análise.

E pra que você não perca tempo com a tarefa – e, obvio, para economizar trabalho – criamos um excel com os dados que você precisa incluir na hora de fazer uma análise dos concorrentes. Para acessar o documento, clique aqui. Caso prefira baixar a planilha, você também pode fazer o download diretamente no seu computador.

Independente do uso, a planilha é muito prática já que você só precisa completar os campos necessários.

analise da concorrencia

Clique na imagem para baixar o modelo no seu computador.

5.Tome decisões e crie estratégias

Depois de ter recolhido e analisado informações dos seus concorrentes, chega o momento crucial: tomar as decisões que vão mudar o rumo da sua empresa.

No fundo, esta é a verdadeira razão pela qual você analisa os seus concorrentes: pra fazer o seu negócio melhorar. Então, agora que você já tem todos os dados à sua disposição, é hora de decidir o que fazer com eles.

Aproveite a oportunidade pra fazer um brainstorming e redefinir a sua estratégia de mídia social, mas também vá além e aproveite pra potencializar as ações que você sabe que funcionaram, deixe de fazer tudo o que não esteja funcionando e nunca deixe de provar novas ideias. É assim que você vai encontrar a fórmula que vai lhe permitir crescer e crescer enquanto você vê os concorrentes ficarem pequenininhos no seu retrovisor.

Se você fizer uma boa análise dos concorrentes e tomar as medidas adequadas, ninguém vai pará-lo.

analise da concorrencia

Então, o que você achou destes 5 passos para fazer uma análise dos concorrentes? Vai implementar? As informações são úteis? Deixe seus comentários!

Ah, e como sempre, não deixe de compartilhar este artigo nas redes sociais para que todos os empreendimentos de pequeno e médio porte possa aproveitar estas dicas! E se você ficar sabendo de alguma queixa da sua concorrência, lembre-se novamente de Al Pacino e diga que “não é nada pessoal, são só negócios” ;).

Fonte: Postcron

Compartilhe
Compartilhe

Como criar um site com SEO

 

Primeiramente, o que é SEO?

 

O SEO (Search Engine Optimization), também conhecido como otimização de sites, é rapidamente definido como uma forma de aumentar os acessos do seu site através de um conjunto de técnicas e estratégias que permitem que um site melhore seu posicionamento nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca, como Google e Bing.

 

Ao iniciar uma campanha de otimização no seu site, você poderá perceber que a melhora no posicionamento para as palavras-chave do seu negócio é diretamente proporcional à quantidade de acessos que vai receber, além de gerar também maior visibilidade para a marca e um retorno em conversões no site.

 

Princípios

 

Os princípios do SEO devem ser aplicados na raiz do site, realizando toda uma otimização interna que consiste, entre outras técnicas:
– Escolher as palavras-chave que melhor descrevem o seu negócio;
– Definir o seu público-alvo;
– Definir o objetivo do SEO a ser aplicado;
– Otimizar a relevância do seu site;
– Otimizar para os poderosos algoritmos do Google.

 

Otimizando o site para SEO

 

Alguns fatores influenciam diretamente o design e a estruturação do seu site, tais como:

Responsividade: a ação de se adequar aos vários formatos de telas disponíveis;

Velocidade de carregamento: o quão rápido o seu site consegue carregar todo o conteúdo;

Arquitetura do site: as informações das páginas estão organizadas de maneira hierárquica

Esses três fatores influenciam diretamente a experiência do usuário com o seu site, já que são fatores com os quais o visitante tem contato direto.

 

Crie conteúdo relevante

 

Solucionar as dúvidas da sua audiência deve ser a primeira opção quando for estruturar o seu conteúdo. Para que se torne épico, procure compreender melhor por quem será consumido. Uma dica é criar personas para direcionar melhor a produção. Basicamente, as personas são perfis semifictícios que representam o cliente ideal para sua empresa.

Busque utilizar palavras-chave ao longo do texto de maneira natural. Além de enriquecer o seu texto, isso aumentará suas chances de ranqueamento no Google.

O bom conteúdo vai muito além de ser bem escrito e bem diagramado — ele precisa ser único e totalmente relevante para o leitor. Por isso, busque pela originalidade na produção. Isso garantirá que sua empresa entende bem das dores dos clientes e sabe como solucioná-las.

 

Invista em tags para ter o site otimizado para SEO

 

As meta tags são códigos-fonte que os buscadores utilizam para entender do que se trata o seu site. Um bom exemplo é, a utilização das tags H1 até H6 para organizar as informações dentro do conteúdo. O título é representado pela tag H1, enquanto os demais são utilizados para os subtítulos. Além das tags dentro do conteúdo, utilize e bem o meta description. De maneira simples, é um resumo do assunto que foi abordado ao longo de todo o conteúdo.

Investir nas técnicas para ter um site otimizado para SEO é fundamental para as empresas que desejam aumentar o tráfego e, consequentemente, aumentar as chances de fechar um negócio.

 

Benefícios

 

Como cada empresa é única, os benefícios podem variar de marca para marca. Conheça aqui os principais:

Gerar Tráfego: além de todos os aspectos intangíveis acima, o SEO bem feito irá aumentar o número de visitas do site.

Leads: leads são contatos ou dados de pessoas potencialmente interessadas em seu produto; com o tráfego qualificado gerado com SEO considere gerar mais leads.

Vendas: sim, o SEO também gera vendas de forma mensurável e direta: a busca orgânica é responsável por 32% das vendas do comércio eletrônico brasileiro.

Influência na decisão de compra: brasileiros confiam 77% mais em busca orgânica que links patrocinados, o que indica que o SEO irá ajudar o consumidor a decidir o que comprar

Reputação de marca: o consumidor reconhece uma marca nas primeiras posições do Google como líder daquele segmento.

 

 

Em tese, qualquer pessoa pode realizar algumas técnicas de SEO. Mas isso não significa que o seu site estará no topo das pesquisas automaticamente, da noite para o dia, bombando o número de acessos. Isso porque há algumas regras que mecanismos de buscas consideram ao indexar um site em seu sistema e são essas variáveis que determinam o posicionamento da página.  E as regras de SEO se também são atualizadas de tempos em tempos, então é bom estar sempre de olho para se manter relevante ao longo do tempo.

 

 

Fontes: Tec Mundo

SEO Master

OnlineSites

Conversion

 

QUER RECEBER MAIS ARTIGOS DE NOSSO BLOG?
ASSINE NOSSA NEWS

Compartilhe